domingo, 29 de janeiro de 2012

-flor em vermelho luz-






SEI QUE VOCÊ ACREDITA QUE ALGUMAS PESSOAS VEEM FLORES.

VOCÊ SABE DISSO,  HÁ FLORES EM VOCÊ.



segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

-verbo amar-



O amor não está lá nem cá, está nalgum entre-lugar que a gente tem que inventar.


Obrigada aos amigos que cederam o vídeo para publicação no L.I.X.O in-process: 
Ademir Kimura, Adriana Fiorini,  Fábio Rosado e Bulla Jr.   

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

-this is a romantic place-

Este vídeo faz parte de uma série intitulada "paisagens sonoras". Pelo registro de audio e vídeo, a captura da localidade de um instante e o ato de eternizar o espaço-tempo de um acontecimento.
 

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

-crônica sobre rituais de início de ano-

Essa é uma crônica sobre as coisas que fazemos quando se inicia o ano.

Olhei para a mesa do escritório - cheia de papéis, de poeira e de memórias esquecidas. Sabia que somente eu poderia arrumar aquilo tudo. Sabia também da disposição que teria que ter para me confrontar com coisas que remetia à minha desorganização, ao modo como me omiti diante de alguns compromissos e como forjei seriedade em tarefas com as quais eu não estava nem um pouco preocupada. Parecia que cada papel me olhava, folha por folha. Os lápis e canetas esparramados pela mesa também me inquiriam. Foi quando encontrei um bloco de notas cheio de anotações....foi quando me perdi na atemporalidade daquelas palavras esparsas e delas não saí mais. Acho que a mesa continua lá, na verdade, acho que não sei mais o que é uma mesa, papel, caneta e lápis. Hoje sou palavra perdida na palavra mesma, palavra de pensamento, palavra de tempo, palavreado solto e flutuante de memória.



                                                                   memórias de papel sobre a mesa
Ocorreu um erro neste gadget