segunda-feira, 12 de março de 2012

-memórias espiadas-


Andei espiando memórias de um tempo que já passou, mirei a memória na luz e algo do agora se revelou. Uma história, um passado, minha genealogia em um tempo-outro. 

A fotografia faz paralizar o tempo, torna possível atualizar o passado infinitamente, para este olho que vê e sente. 

De algum modo, o passado agora é presente. 

E o presente, o vejo passar e deixar rastros de memória neste corpo que fica, que vê e que sente que é a gente.


Inicio agora um projeto e preciso da ajuda de todos aqueles que ainda guardam memórias nesses objetos que chamamos monóculos. Quero re-fotografar estas memórias, para uma futura exposição. Gostaria muito que aqueles que possuem ainda esses mónoculos entrem em contato comigo pelo e-mail rostubs@yahoo.com.br para falarmos mais sobre esta proposta. Ficarei muito feliz e grata com o contato de vocês.
Ocorreu um erro neste gadget