domingo, 29 de julho de 2012

-elos-


Em visita ao MAM uma obra de Cildo Meireles me impressionou, marcando meu olhar e meu pensamento. 

A obra se chama "elos", uma caixa de madeira com duas correntes iguais na forma, dispostas uma ao lado da outra. Uma das correntes é de ferro, e o que une as extremidades de seus grossos gomos de ferro é um gomo de silicone. Bem ao lado, a outra corrente é formada por gomos de silicone e unidas por um grosso gomo de ferro. 

Há nesta obra uma vibração ética, o campo relacional é tão mais forte e resistente quanto mais flexivel for o elo entre as partes, quanto maior a abertura para a negociação e menor a disposição para a imposição de verdades e para a afirmação do eu. Esta obra vibrou em mim um sentimento de mundo, vi nela uma espécie de síntese relacional, uma fórmula para preservar em amplitude a relação com o outro.

Com os elos de Cildo pulsando em mim, iniciei uma série com o mesmo nome e resolvi sair por aí fotografando alguns elos que me passam o sentimento de permanência. 

Em referência e reverência a Cildo Meireles.


















sábado, 21 de julho de 2012

terça-feira, 10 de julho de 2012

-corpos, casulos plásticos-


Inicio agora um novo projeto ligado ao conceito de plástico orgânico que tenho desenvolvido desde 2011. 

Aqui os corpos de carne e sensação são emplastificados e viram casulos. 

Ainda nús, ausentes de inscrições discursivas, talvez possam fazer insurgir subjetividades pós-identitárias.

Ocorreu um erro neste gadget